nav-left cat-right
cat-right

A infância perdida

O Mario Yanase escreveu um artigo muito interessante falando que a infância das crianças nos dias de hoje é muito diferente da que tivemos alguns anos atrás. E de fato, assim como ele fala em A última infância feliz, as crianças hoje não tem mais a mesma inocência e a mesma pureza que existia há uns dez anos atrás. Vejo que as crianças não se parecem mais com a criança que eu fui.

Os fatores dessa mudança são vários, incluindo aí a própria evolução natural. Com o passar do tempo tudo muda, a sociedade muda e não seria diferente com os pequenos também. Porém, ao meu ver, ao invés de evoluir para algo bom, a infância está cada vez mais deixando de existir.

Crianças já se portam como adultos. Meninas aparecem maquiadas. Crianças com roupa da moda, celular, MSN, Orkut. A vida social delas é igual a de um adulto. Ou talvez tenham mais vida social ainda. Isso sem falar em namoros, beijos e sexo, que cada vez começam a acontecer mais cedo.

Mas na minha humilde opinião, eu acho que os culpados de boa parcela disso tudo somos nós, os adultos. Primeiro porque, como pais, não nos damos ao trabalho de cuidar eficientemente da formação do caráter dessas crianças. Não ensinamos princípios e moral. Deixamos que aprendam com os outros, ou pior ainda, na rua. E todos nós sabemos que esse tipo de educação acaba levando as crianças para o lado ruim da vida e se perdendo por caminhos errados.

Claro que aqui faço uma generalização. Nem todos os pais são assim, mas é sabido que a maioria das crianças não recebem uma educação moral adequada. Seja porque os pais estão sempre ocupados atrás do sustento da casa – o que é algo muito comum nos dias atuais – ou por puro desleixo mesmo. E sem receber esta educação, e principalmente, sem ter modelos a seguir, elas acabam por sugar tudo o que vêem ao seu redor. E é isso que dita a formação do seu caráter.

Acrescento a isso a vulgarização do sexo e a exposição demasiada de imagens e cenas eróticas. Em novelas que passam em horário nobre, cenas de beijos quentes e sexo já se tornaram normais. Músicas com letras como “só as cachorras”, “daku é bom”, e outras que fiz questão de esquecer ou tive o prazer de não ter ouvido são cada vez mais tocadas em rádios e cantadas por todas as pessoas, incluindo-se as crianças. Há algum tempo atrás, no começo do grupo É o Tcham, com a música que dizia algo como “vai descendo na boquinha da garrafa”, onde meninas rebolavam em cima de garrafas e outros objetos, sendo assistidas por adultos que achavam “uma graça”, sem dar importância à vulgaridade que havia por trás disso. É claro que as crianças muitas vezes nem sabiam o que estavam fazendo. Mas os adultos sabiam. E muito bem. E ainda existem reality shows como o Big Brother, que é um programa recheado de putarias cenas de cunho erótico e sexual. E a audiência disso é gigantesca. E isso é passado para crianças também.

Infelizmente o sexo vende, e a mídia em geral se usa deste artifício para lucrar sem se importar com as conseqüências. Basta olhar o que era Britney Spears e Christina Aguilera no começo da carreira e o que são hoje. Sempre se apela para sexo, drogas e dinheiro. E quem ainda não tem um caráter formado – ou seja, em formação – absorve todas essas informações e, por estarem em todos os cantos, acabam julgando como certo e passam a viver com esses parâmetros.

Posso estar completamente enganado, mas ainda acho que crianças devem continuar sendo crianças. E cabe aos pais ensinar o que é certo e errado, e se for o caso, desligar a TV ou trocar de canal quando aparecerem cenas ou diálogos impróprios. Devemos deixar que brinquem, que se sujem, que corram. E não expô-las a um mundo adulto totalmente vulgarizado e capitalista.

40 comentários para “A infância perdida”

  1. Fábio!

    Assino embaixo. Poderia acrescentar coisas, mais apenas redundariam.
    Estava mesmo sentido falta de teus escritos por aqui.

    Abraços!

    Sérgio

  2. Adao Braga says:

    Fábio, a minha frase preferida é assim:
    A última criança que teve uma boa infância nasceu em 07/07/1968… he he he sem modéstia!!!

  3. Adao Braga says:

    Desde já sou testemunha!!!

  4. bella says:

    a realidade da maioria dessas crianças é virtual. Sexo deixou de ser coisa pra adulto e passa a ser normal entre crianças de 9, 10 anos. E infelizmente alguns pais estão ocupados demais pra verem isso a tempo de corrigir. Tenho penas dessas crianças.

  5. Cara, como educador profissional devo dizer que realmente esse post faz todo o sentido do mundo…Muitos pais preferem confiar na babá eletrônica (é “di gratis”, é “eficiente” – entretém a criança) da TV de forma incondicional e de fato os adultos acham bonitinho as crianças dançarem na boquinha da garrafa (e depois reclamam do comportamento vulgar) e por aí vai.

    Por fim, adiciono que muitos pais dão uma educação de merda e depois a escola que se dane: ela que assuma tudo.

  6. Renato,
    O pior é que os pais passam a responsabilidade da educação para as escolas. E escolas não tem preparo para isso. E o resultado disso é o que vemos nas ruas.
    Abração!

  7. rafael says:

    Fábio
    Concordo com a análise da atual conjuntura moral e social na qual estamos mergulhados. Mas não sei se as crianças foram em algum tempo tratadas como crianças. Tenho comigo que elas sempre foram tidas como mini adultos e são poucas aquelas que realmente tiveram uma infância dedicada as brincadeiras e a “inocência”.

    Basta olharmos a história e ver como o trabalho infantil sempre foi utilizado, e ainda hoje temos esse problema. Cresci no interior do país e com crianças que desde cedo tiveram que trabalhar no campo, plantando, colhendo, tirando leite, ajudando os pais no seu pequeno comércio e indo a escola. E aquelas que tinham uma condição de vida mais abastada eram colocadas em cursos disso e daquilo porque “é preciso se preparar desde cedo para quando crescer ganhar bem”.

    Talvez eu esteja sendo ousado em dizer isso, mas creio que vivemos uma infantilidade generalizada: nós adultos queremos nos entregar a todos os desejos como crianças que querem um doce. E assim acabamos agindo como crianças que ainda não tem idéia de que o mundo não gira em torno de nós. Disso, decorre os fato de nós adultos olharmos as crianças como “mini-nós”, e fazemos com que elas tenham uma visão equivocada de que os adultos são felizes.

    Por fim, me parece uma quimera pensar que um dias elas foram tratadas como crianças. Penso que elas sempre foram vistas como projetos de adultos, pois “elas são o amanhã”.

    De minha parte, tive a sorte de ser criança, e desejo nunca esquecer disso….

  8. Ja te falei que vc ganharia muita grana escrevendo auto-ajuda? Só um pouquinho mais de neurolinguistica e técnicas de persuasão e vc estaria rico.

    Vai por mim.

    *PS: Texto muito singelo.

  9. Marco says:

    Fabio!

    Já faz tanto tempo que nem sei se lembras que me visitou… Bem, desculpe… vim aqui tardiamente pois estive em fase de “um quase fim de blog” e por várias vezes mudei de idéia e tantas coisas aconteceram, mas enfim… Estou de volta e agora é pra ficar!

    Agradeço as gentis palavras deixadas em meu post “O valor das pequenas coisas”.

    Parabéns pelo blog! Excelentes escritas!!!

    E sobre a perda da infância ou digamos assim a “inocência perdida”, concordo com você em gênero, número e grau… Minha infância foi completamente diferente e hoje percebo que o que mais queríamos, que era apenas ser criança e curtir essa fase, as crianças de hoje não querem, elas querem ser adultas e perdem toda essa pureza e inocência que um dia também tivemos…

    Triste, mas é a realidade!

    Grande abraço

  10. Monalisa says:

    Onde eu assino?
    Concordo plenamente, as crianças não são mais as mesmas, mas nós adultos também não somos. Não temos mais a figura da mãe protetora, acolhedora e certinha. Os tempos mudaram. Infelizmente, as consequencias negativas estão aí. Beijos!

  11. Luma says:

    Os pais não estão capacitados para educar. Tudo é permitido para a criança não encher o saco. Deixam a criança sozinha com tv e computadores, um verdadeiro cala a boca. As crianças são curiosas e vão procurar por aquilo que lhes são proibidos. Daí digo que não deve haver proibição e sim diálogo, esclarecimento sobre o que é bom ou ruim. Mas e se nem os pais sabem, para quê tê-los?

    Amanhã terá uma blogagem coletiva “Contra a pedofilia, em defesa da inocência”

    Neste dia é comemorado o Dia da Amizade e o Dia Internacional do Amor. E porque não juntar esses dois ingredientes e dedicá-los às nossas crianças?

    Muito se fala no futuro e este não existirá, se não o construirmos agora. Temos que preservar as crianças de todo tipo de violência e a pedofilia, crime bárbaro, acontece muitas vezes onde não é para acontecer; dentro do seio da família.

    Temos muito o que falar e combater sobre este assunto. Como tenho dito, o maior dos crimes ainda é matar a inocência.

    http://img176.imageshack.us/img176/4600/pedofilia2dyru6.gif

    Gostaria de contar com sua participação!

    Quem já confirmou: http://luzdeluma.blogspot.com/2008/01/pedofilia-ertica-voc-concorda.html

    Agradecida,
    Luma

  12. Juliano says:

    Pois é…

    Como as coisas andam, certamente esses de agora se orgulharão no futuro…

    Grande abraço.

  13. Rosana says:

    Fabio,
    Você tem razão. Uma das mudanças, pelo menos nas cidades grandes, é que não dá mais para brincar na rua como eu fiz na minha infância. Os pais hoje trabalham muito mais e as crianças vão para a escola mais cedo. Pra completar, as crianças têm milhares de atividades: inglês, natação, judô, futebol, balé, etc. etc. Quase não dá mais tempo de brincar!
    Beijos,
    Rosana

  14. Ana Paula says:

    Fabio, guri…

    Faz tempo que não passo por aqui… Preguiça horrível de ficar no computador, férias do meu filhote e péssima organização do meu tempo…

    Sabe, vejo no meu filho ora uma inocência absurda, ora uma maturidade de meter medo… Os tempos são outros, as crianças também…

  15. Adao Braga says:

    Caramba! Quanto tempo! O que tá acontecendo?

  16. Leandro says:

    Boa vcs foram fundo e isso ai infelismente hj em dia nao se tem mais uma infancia pura onde nossos filhos possa brinca e se diverti e uma realidade cruel ve que a nossa sociedade nao faz nada pra muda esta situaçao mais dez de ja estamos aqui e se tiver que começa por nos entao nao esperamos por niguem vamos aregaça as mangas e muda esta situaçao e aproveitando tem um site onde nos adultos de hj podemos volta anossa infancia e tb mostra pras crianças de hj como era anossa infancia http://www.kids80.com.br e um projeto que resgata a infancia dos anos 80 e 90 forte abraço atodos Deus abençoe!!!

  17. J. Genildo Reges de Sousa says:

    Era uma vez um desejo que permanecia eternamente encantado dentro da gente…e num canto encantado qualquer dos quintais, das calçadas, das sombras das árvores, éramos felizes e não nos dávamos conta, e nem podíamos, as coisas encantadas não se podem ver. Assim o texto me fez retornar a tempos idos nos quais éramos verdadeiramente “as criancinhas que íamos a Jesus…”. Éramos mágicos dos maiores desejos, dos sonhos mais coloridos, das graças mais engraçadas, das artimanhas escondidas…no “reino mágico de ser criança!”. Num pedaço deste mundo de “A a Z”, éramos senhores absolutos de criações infantís que na ludicidade de nossos sonhos nos faziam realmente felizes. Com uma liga de amarrar dinheiro, um carretel de linha, um pedaço de vela e um palito de fósforos…fazíamos um tratozinho que se dava corda e ele ia andando, subindo montes de areia, descendo, caindo, e como os mais modernos brinquedos cibernéticos da contemporaneidade…se “levantava sozinho”, aquele palito de fósforo-manivela dava uma voltinha…e o caminhar infantil recomeçava…e nos nossos sonhos, desvaneio… era uma roda de meninos e meninas sentados ao chão, sob um luar de estrelas amigas…e no espanto irmão do canto…vinha um anel misterioso (no mundo infantil tudo é mistério…se não for mistério não é real!), e passava de mentirinha por sobre as mãos e entre dedos, e nesse passar, ficava um pedaço de uma pedra preciosa que se lapídava na nossa imaginação…para nascer na mão vizinha…prontinha para tudo recomeçar. No mundo infantil, as coisas não tem fim…são eternas. E tudo isso, como um bolo de saudade…quero tirar um pedaço…e como, no mesmo encanto, reparto com todos que ousam serem crianças no relembrar.

  18. Simone says:

    Bom, segundo Vygotsky a criança leva consigo uma bagagem de conhecimentos, adquirida em suas experências vividas no contexto ao qual está inserida. Assim, sendo penso que nas brincadeiras a criança reflete essa “bagagem”, que hoje em dia sem o acompanhamento responsável dos pais (muitas vezes por falta de tempo) são essas as quais seu texto se refere. Triste né! Mas, a sociedade de uma forma geral precisa se conscientizar da influência que a mídia traz para a infância, e poupá-las do que não é apropriado.
    Toda criança tem direito à dignidade e ao respeito.
    Pena que os próprios pais não sabem disso, ou fingem não saber!!! Muitos são os primeiros a privarem seus filhos de ser “criança”, com atitudes nojentas como a pedofilia.
    Para finalizar prefiro acreditar na negativa desta frase: “Ser criança não significa ter infância” inspirado na obra de arte: William-Adolphe Bouguereau (1825-1905) – A Calling (1896).

    Sem mais,Tchau.

  19. Eduardo says:

    cara gostei muito do seu texto, tanto que vo usar umas partes para montar um artigo pra minha professora…

  20. Fábio,
    Vc está coberto de razão quando diz que acabaram com a moral e os bons costumes. A pouca vergonha é tanta que as crianças já nascem pensando que é tudo normal. Eu também pertenço a uma geração da antiga e sei o quão importante foi a nossa criação, voltada ao respeito, onde a moral e a descência falavam mais alto.
    Parabéns
    Magali

  21. Daiane says:

    Ola sou nova por aqui, mas achei muito interessante seu artigo e como já foi dito por varias pessoas assino em baixo.
    Eu sou defensora convicta que lugar de criança é se divertindo com outras crianças, brincando de pega-pega, esconde-esconde tudo isso estimula a socialização, mas não a faz ser adulta, pois a infancia é tão curta e deve ser aproveitada ao maximo possivel.

  22. Ingrid says:

    Acredito ser possível criar os filhos em um ambiente saudável. Basta que para isso sirvamos de exemplo, além de ensinar desde cedo o que é certo e o que é errado em termos morais.
    E afirmo que por ter 12 anos [..]
    E conhecer muitos adolescentes e pais
    dos mesmos existem pais que não se comportam devidamente na frente dos filhos por isso eles podem também estar cometendo os atos absurdos que por eles são realizados !

  23. Eder says:

    Boa noite!!
    Não costumo fazer comentários, porém devido ao Fabio ser um grande Amigo meu, resolvi deixar minha opinião..
    Nem vou perder tempo falando de sua capacidade pois isso quem lê seus artigos já pode perceber..
    Lendo esse post, acabei lembrando de uma situação que mostra bem isso, fui num aniversário de 5 anos no qual minha filha de 3 anos havia sido convidada, estávamos todos lá cheio de crianças, até que colocam um dvd da xuxa e a sala fica vazia, achei estranho mas tudo bem. Até que daqui a pouco colocam um cd de funk e pronto a sala encheu.. Ai fiquei pensando o que tá acontecendo com a infância de nossas crianças, o que ouve com os baixinhos da Xuxa, onde foi parar aquela inocência de cantar ilariê, fazer duas chiquinhas no cabelo, enfim fiquei muito impressionado, pois estou criando uma filha, e to fazendo de tudo pra que ela não pule etapas e faça tudo na sua devida fase..
    Um abraço Fabinho tudo de bom..

  24. Rodrigues says:

    [...] o foco do Post do Fabio(http://www.centenaro.org/fabio/a-infancia-perdida) escrevi essa [...]

  25. vanessalima says:

    ESTOU FAZENDO UMA PESQUISA SOBRE CRIANÇA,E GOSTEI MUITO DO QUE ESCREVEU,PODESSE DIZER QUE OS TEMPOS MUDARM.

  26. Alfredo says:

    Olá Fábio, ótimo texto para refletir.
    Aproveito a oportunidade para divulgar minha página sobre brinquedos antigos. Acredito que haja uma relação direta entre os comentários do autor do texto e o conteúdo de meu blog.
    O blog Meus Brinquedos Antigos fica no endereço http://meusbrinquedosantigos.blogspot.com/.
    Obrigado.
    Abs,
    Alfredo.

  27. Adeny says:

    olha concordo plenamente, mais acredito que nos podemos sim ciar nossos filhos sem deixarmos que a midia de hoje em dia influencie.

  28. cristiana says:

    roubarao tdos meus direitos, agradeço, a quem me deu a vida..mas sinto angustia…nao estou conseguindo viver o oje. Devido as lembranças ficou marcado na minha memoria.eu era so uma criança, ninguem me protegia, fui criada por monstros. sobrevivi graças a Deus. pois o conheci muito cedo.

  29. cristiana says:

    porque Deus!! tirarao minha infancia..abusarao.tanta injustiça comigo porque???????porque isso acontece.
    Eu sobrevivi, e vivo um dia apos o outro.e quero viver.pois é maravilhoso a vida!!

  30. Anonimo says:

    Concordo plenamente, a infancia morreu com o nascimento da tv e da internet.

  31. Thiago says:

    Observando os fatos veridicos atuais sobre a infancia, chegaremos a conclusão que não há mais crianças. Pelo fato de que os veiculos de comunicação visualiza só o lucro, e foda-se os telespectadores, que muitos são crianças que ainda está construindo a sua personalidade. Destarte, a culpabilidade disto somos nós mesmos, mas
    nós tivemos a ultima infancia feliz poderiamos previnir, mas isso seria quase impossivel pela a influência das pessoas e de emissoras de tv.

  32. cristina says:

    a verdade é que as pessoas ou monstros melhor dizendo, aproveitam dos mais fracos, mas acredito que essas pessoas de alguma forma pagam pelo o que faz tds pagam. so Deus pra esclarecer!!!!!

  33. Rosangela says:

    Olá, estou desenvolvendo um projeto para universidade sobre o tema, uma vez, que parto das mesmas idéias aqui muito bem apresentadas e resolvi expor minha humilde opinião. Sou educadora infantil, e sinceramente me assusta olhar para crianças de 8 a 10 anos e não enchergar a pureza a inocência que é própria desses seres, que devido a realidade a qual são inseridos e a total falta de participação dos pais ou de seus responsáveis em sua formação social , psíquica e moral estão tornando se forçadamente adultos, mais com o agravante de estarem absorvendo todas as coisas ruins que um adulto faz ou possuem.Muitos já vivem emergidos na drogatização,prostituição,alcoolismo e etc… na minha turma as crianças não brincam mais com brincadeiras saudáveis que fazem parte do seus mundinho, estão sempre além.
    Cruciante seria se a sociedade tivesse um olhar mais amplo para essa questão, e assumissem para si essa luta deichando de de lado a convicção que o problema é de um só,afinal são nossas crianças que são o “amanhã” que estão se perdendo, adorei seu texto e concordo plenamene.

  34. cris says:

    obrigada pela a oportunidade e pelo o email, Fabio vc é especial pra min, Rosangela qto a sua pesquisa é isso ai, tem que começar a fazer alguma coisa. Sinceramente eu fico assustada, agoniada com as nossas crianças eu nao tenho filhos..Deus reservou outras coisas pra min, Mas talvez eu seria uma exelente mãe nao sei…eu tenho sobrinhos me preocupo mas nao entendo o porque dos atos deles das crianças. Apesar de tudo sao senciveis vuneravel.. acredito que o começo da educação pelo os pais é muito importante a base de tudo. mas a personalidade da criança ja vem pronta..veja existem historias de crianças onde tdas recebem as mesma criação no entanto sao tao diferentes entre si. Acredito ja vem predestinada a evoluir. mas elas sem duvida precisam do começo da edução dos pais de amor. do certo isso é um direito da criança perante Deus…Desculpem nao sei muito q escrever mas me chateia muito qdo vejo uma crianças com a educaçao deformada pelos seus proprios pais, infelizmente eles nao tem noção acredito, deveriam primeiramente ser educados a educar seus filhos.. Enfim essas coisas sao revoltantes mas temos que tentar enxergar com amor..bjus

  35. Márcia Godoy says:

    Bom dia,

    ótima explanação,análise e crítica da infância na atualidade. Você tem razão sobre as mudanças do mundo pós-moderno, as quais não podemos impedir, mas sem dúvida, não importa em qual tempo, os pais, os adultos continuam sim sendo responsáveis pela criação e formação das crianças e culpados sim por malefícios que poderiam ser evitados se nos dispormos a ser menos covardes e omissos, achando que é assim que tem que ser. Há países já se alertando para isso e impondo suas regras para proteger a infância. E se trata de proteger mesmo, pois todos os relatos de seu artigo transformam as crianças em vítimas de pedófilos e abusadores que usam crianças para satisfazer suas necessidades e transferem suas culpas para as crianças ou alegam que elas já são grandes e precisam aprender ou que tem que fazer o que os adultos querem. Como está ficando difícil para as crianças o sentido de certo e errado, estão se tornando presas fáceis de predadores cruéis, sórdidos, inescrupulosos que quase sempre permanecem como inocentes e as crianças como mentirosas. Crianças estão sendo assassinadas na sua essência de ser, na sua individualidade, no seu caráter, na sua espiritualidade muito antes de poderem entender o que são e o que querem ser. Que tipo de adulto serão? Que tipo de reação a sociedade espera disto? Quantos psicopatas estamos formando? Como garantir que as crianças de nossas famílias não sejam atingidos ou deformados por esse meio?
    É horrível conviver com a impotência diante deste flagelo.
    Márcia

  36. Lady Gaga cried for a week or so the instant she learned how precisely how very well her newest album ended up selling. The singer was not able to keep her sentiments in check simply because she was so overcome merely by the wonderful reaction to her LP ‘Born This Way’ the instant it was introduced last month.

  37. I do like the way you have framed this specific issue plus it does offer me some fodder for thought. However, through everything that I have experienced, I just simply hope as other opinions pile on that people today keep on point and in no way start upon a soap box regarding some other news du jour. Still, thank you for this excellent piece and even though I can not go along with the idea in totality, I value the perspective.

  38. adriana kdpm says:

    sinceramente o sexo deixou de ser só para adultos agora as crianças estam praticando
    gente isso e um absurdo
    as crianças tem que ser proteger

  39. Thiago says:

    Sinceramente, não são as crianças que mudadram, mas sim os adultos. Ora, nós mudamos, não damos mais importância aos valores que as pessoas tinham, precisamente a educação de nossos filhos. Não temos tempo para olha-los de perto, e cada vez mais o mundo globalizado as crianças vão ficando mais distantes e mais vulgares. O mundo mudou para pior, liberdade para os mesmos não existe mais, bricadeiras é coisa de ¨retardado¨ e o tempo passa e eles querem crescer, porquanto esta infância é deprimente demais para essas crianças viverem. Com tanta tecnologia para melhorar à vida, mudou para melhor, mas também para pior.
    Não sentamos mais para ter uma boa conversa, o diálago é restrito apenas na internet, e contato fisico com as pessoas
    está desaparecendo das nossas vidas. E a
    as pessoas estão ficando cada vez mais frias, desilusões( injustiças e traições)
    filmes de violência que deveria ser restritos ao público menor.
    Precisaria um dia inteiro para falar sobre este assunto tão complexo e assustador.
    Bom, passar bem.

  40. CARLOS says:

    As coisas mudaram demais, crianças se portam como adultos, por falta da infância as quais foram suprimidas muitas vezes pelos pais, quando obrigam as crianças a praticar esporte por competição e não por brincadeira.

Comente!